segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Bienal de São Paulo

Para entender como e por que pensar a respeito de coisas que não existem, basta ter em mente que tanto o entendimento humano quanto nosso poder de decisão são restritos por crenças e limitações das nossas expectativas. As coisas que não existem fogem do quadro comum que dita como devemos pensar e agir em uma dada sociedade e em um dado momento.