segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Descobrindo a 31ª Bienal de São Paulo

A equipe curatorial da 31ª Bienal tem a convicção de que a arte pode propiciar encontros com experiências e emoções que não estão presentes nas análises corriqueiras da vida humana. Se indivíduos ou grupos conseguem encontrar, pela arte, coisas que eles não enxergariam por outros meios, então eles podem sentir o poder de transformar a si próprios de forma inesperada. A esperança da 31ª Bienal é que ela possa permitir que essas coisas passem a existir por meio de atos de vontade de cunho artístico. Talvez essa seja a função última da arte, historicamente e na atualidade.