quinta-feira, 2 de julho de 2015

Pedalada Cultural

2 DE JULHO

Fanfarras, estudantes, militares, grupos de samba e batucadas...

Na Bahia, desde 1824, a conquista da independência é celebrada com muita festa nas ruas, sempre com muito verde e amarelo. Em outras épocas, no século XIX, os festejos do Dois de Julho também aconteciam nos bairros. Os próprios moradores construíam réplicas dos carros dos caboclos, organizavam o desfile e homenageavam os brasileiros que lutaram pela independência do Brasil.

O Dois de Julho é, sem dúvida, uma das datas mais significativas da Bahia. Mas, vai além do civismo. Para o povo baiano, que neste dia logo cedo está nas ruas esperando o carro do Caboclo e da Cabocla passar, é um cortejo de fé e uma celebração democrática, que abraça todas as legendas políticas, todas as manifestações religiosas e cada cidadão, seja de que raça for, do mais velho ao mais moço.

O desfile que sai da Lapinha de manhã, e percorre as ruas do Centro Histórico levando a multidão até o Campo Grande, encerra naturalmente todo o apelo da participação popular.