domingo, 3 de janeiro de 2016

Jardim dos Passos em Congonhas

Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1730-1814), maior artista brasileiro de todos os tempos, deixou no alto de um dos morros da cidade histórica de Congonhas, a 89 quilômetros de Belo Horizonte, sua obra-prima: os Passos da Paixão de Cristo. Por três anos, entre 1º de agosto de 1796 e 31 de dezembro de 1799, ele executou, ao lado dos ajudantes de seu ateliê, as 66 figuras em cedro instaladas em grupos: ceia, horto, prisão, flagelação, coroação de espinhos, cruz às costas e crucificação. À magistral missão de criar o conjunto de esculturas somaram-se outros dois talentos da época: os pintores Manuel da Costa Ataíde e Francisco Xavier Carneiro. O primeiro cuidou das policromias das imagens da ceia, flagelação e crucificação e o outro do restante das peças, trabalho só finalizado em 1819.