segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Nova Trento








O município de Nova Trento possui pouco mais de 13 mil habitantes e está localizado a aproximadamente 80 quilômetros da capital do Estado, Florianópolis. Referência no Turismo Religioso de Santa Catarina e do Brasil, Nova Trento é hoje a Capital Catarinense do Turismo Religioso. Cidade aconchegante, une o poder da fé com as atrações culturais italianas e as belezas naturais.

É o único município no Brasil a possuir dois santuários reconhecidos pela Igreja Católica: Santa Paulina, conhecido mundialmente, e Nossa Senhora do Bom Socorro, localizado a 525 metros de altitude em área de preservação e rara beleza natural. Nova Trento foi colonizada por imigrantes italianos oriundos do Trentino Alto Ádige, norte da Itália, em 1875. Ainda hoje a cidade exibe com orgulho os traços da colonização italiana, presente em seus pratos típicos servidos diariamente nos restaurantes e pousadas. Grupos folclóricos, de dança e canto complementam este cenário: eles trazem as características do Norte Italiano e ainda o dialeto trentino praticado a mais de cem anos. Outra característica desta italianidade é o plantio da uva e a fabricação de sucos e vinhos. Diversas vinícolas mantém as tradições de seus antepassados. Não é raro encontrar vinhedos e culturas preservadas desde a época da colonização. Entre estradas sinuosas e morros que lembram as montanhas do Trentino/Itália, Nova Trento apresenta também inúmeros córregos, nascentes e cascatas, cenários perfeitos para a prática do ecoturismo e do turismo rural, que aos poucos despontam na região.








O famoso café colonial do sul.
A tradição dos cafés coloniais se tornou conhecida devido à procura de viajantes e de turistas, que ao chegarem tarde da noite em regiões pouco movimentadas, onde não havia hotéis ou mesmo restaurantes, eram acolhidos pelos colonos. Os moradores destas localidades prontificavam-se a atender os viajantes, com alojamento e refeições, colocando à mesa o que havia de melhor dentro dos costumes germânicos.
O café colonial também tem sua origem na mesa de muitos agricultores que povoaram as mais diversas regiões agrícolas do mundo. O café matinal representava a mesa farta do colono, que antes de ir, muito cedo do dia, para seus afazeres em suas pequenas propriedades rurais, tomava um reforçado café da manhã. Como ficavam o dia todo envolvido no pesado trabalho da roça, o ‘café do colono’ precisava ser reforçado. Era esse lanche matinal que iria proporcionar energia suficiente para o desempenho das árduas funções do dia.
No Brasil, o café colonial teve sua origem principalmente no Rio Grande do Sul, região de forte colonização e influência alemã e italiana. As cidades de Gramado e Canela são conhecidas mundialmente, devido ao tradicional café colonial, servido aos turistas, com farta comilança.































































Imagem relacionada

Imagem relacionada

























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.